Poema carnavalesco

Desfile de Ilusão

Cantam e rimam, num mar de cor

Bate o pandeiro, falam de amor

Lá vai o povo, sem divisão

Abrindo alas do meu coração

Do alvoroço à fantasia

Gingam os versos da poesia

Nesta avenida, uma paixão

Pula no peito de um folião

Ela, porta-bandeira, eu mestre-sala

Do sonho acordo, o samba cala

Foi um desfile de ilusão, meu carnaval

Eu bem sabia, tudo são cinzas ao final.

Poema de Gabriel Fernandes e arte de Sonia Brusius.

Desfile de Ilusão é um poema do acadêmico Gabriel Fernandes, publicado em seu segundo livro de poemas, Flanar dos Passos. Este poema também fora musicado, em ritmo de marchinha, pelo músico Jorginho Dominguez.

Tem alguma coisa a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!