nov 27, 2009 - Poemas    No Comments

A vida é um poema

A vida é um poema
Por Leda Saraiva Soares
Publicado em Poesia na Praça. XX Antologia Poética Patrulhense. Porto Alegre: Est, 2009, p.186.

A vida é um poema
De ilusão, de sofrer,
De amor ou desamor…
Alguns são registrados
Em livros simples.

Outros, com grande esplendor…
Não importa a edição.
Muitos, talvez, os mais belos
São apenas vividos,
Lidos nos gestos de amor,
De ternura, de respeito,
De bondade…
É bom ler vidas…
É bom ler poemas…

nov 23, 2009 - Poemas    No Comments

Alma em transe

Alma em transe

Por Mário Feijó
 
Minh’alma está chocada
 – em transe –
Diante das coisas
Que acontecem no mundo…
 
Ela tem a pureza dos anjos
Não entende a malícia dos homens
Não aceita tantos vícios, drogas
Não compreende tantos crimes…
 
Disse-me ela outra hora
Que qualquer dia me abandona, vai embora
Reciclar-se no paraíso
Este planeta está difícil de entender…
 
O que faço com esta jovem rebelde
Alma em transe – em trânsito neste mundo
Tornei-me seu refém – anjo rebelde –
Pobre anjo vagabundo… Pobre de mim…
 

nov 16, 2009 - Poemas    1 Comment

Eu queria tanto…

Por Rosalva Rocha
Sto. Antônio da Patrulha, 29.01.2009
 
Eu queria tanto que você parasse
Que me abraçasse
Que me olhasse
E me entendesse
 
Eu queria tanto te ver
Aberto
Liberto
Das amarras com que te criaste
 
Eu queria tanto te ver por inteiro
Teu cheiro
Teu medo
Teu sossego
 
Para poder dizer
Que eu só quero te ver
Olhando prá frente
Pensando alto
Sem sobressalto
 
Teu medo me paralisa
Tuas ofensas me acabam
Tua passividade com a vida me agride
Tua ausência de horizontes
Me deixa triste
 
Triste por não conseguir
Amar contigo
Chegar em ti
Chorar por ti
 
Posicione-se
Vá em frente
Arrisque-se
Saibas que eu estou voando
Quem sabe flanando
Sonhando muitas coisas
Num mundo diferente
Prá frente
E de repente podes estar me perdendo

 

nov 15, 2009 - Poemas    No Comments

Natal e Ano Novo

Por Evanise G. Bossle

Natal

Escrevi um poema
sobre o fim do ano…
São mensagens de Natal,
votos para um ano bom.
São palavras ao vento
sem destino final.
São desejos de sucesso.
São soluços  reprimidos.
São destinos transformados.
É a festa do Ano.
É a festa do Menino Sagrado.

Ano Novo

Quem pensou que demorava
esse ano que passava ?
De repente ele passou.
Novamente estou pensando
no presente e nos presentes,
no futuro que chegou.

 

nov 15, 2009 - Contos    1 Comment

Meu pé de goiaba branca

Por Evanise G. Bossle
Tramandaí

Hoje fui regar as violetas e pela janela vi a minha goiabeira. É março , os frutos estão ainda verdes, pequenos, ingênuos e tristes. Daqui a algumas semanas, estarão tão maduros e cairão e serão comida para os pássaros. Lembro que meu pai vinha aqui em casa me visitar e apanhava as goiabas com uma vara, enchia sacolas do mercado Nacional com muitas goiabas e distribuía pela vizinhança. Eu gosto de goiaba, mas como duas ou três e só.

Ah, minha goiabeira triste… meu pai não regressará, está morando no céu com Jesus. E agora olho os frutos verdes ainda e remeto-me aquele tempo feliz que não voltará, somente em minhas lembranças, que são ainda muito nítidas. Sinto o cheiro da goiaba madura, mas elas ainda estão verdes, ouço a risada alegre dos dias em que ele esteve aqui.É uma lembrança boa, mas não consigo lembrar, sem que as lágrimas rolem livres e reguem as violetas da janela.

No verão passado, quando meu luto era ainda recente, minha vizinha disse que as goiabas que caiam para o lado de lá do muro entre as casas, eram colhidas por ela. Até me presenteou com uma geléia de goiaba. Naqueles dias, houve um vento forte, muitas goiabas caíram. Eu as colhi e dei uma sacola cheia delas para minha vizinha fazer mais geléia.

Mas hoje o dia ficou triste, e nesse mês de março, quem colherá as goiabas para distribuí-las aos vizinhos? Meu pai já não está aqui? E quem vai fazer geléia? Minha vizinha foi também há alguns dias atrás, morar no céu com Jesus. O céu hoje é mais feliz , por lá deve ressoar uma risada alegre do meu pai e também deve ter geléia para o café da manhã dos anjos.

E nós aqui na terra, minha goiabeira e eu, continuamos vivendo e esse ano teremos mais goiabas maduras, para a diversão dos passarinhos,esparramadas pelo chão.

 

nov 15, 2009 - Poemas    No Comments

Pedras e flores

Por Mário Feijó,
Capão da Canoa, 14.11.09

Não havia flores na minha rua
Minha estrada era deserta
E eu sentia um frio em minh’alma
Toda vez que tomava consciência de mim…

Acho que não me perdi
Nas estradas da vida
Porque eu tinha plena consciência
Do que queria pra mim…

Como não encontrei amores
Eu distribuía o meu
E digo que em muitas horas
Não sobrava amor nem pra mim…

E eu seguia mundo afora
Plantava sementes
Pelos lugares mais inóspitos e desérticos
Agora descobri que muitas estão brotando…

E quando as sementes brotam
A gente percebe que a esperança não morreu
Que tudo pode se transformar
E que novos frutos irão nascer…

Quando há bons sentimentos
As flores nascem até entre as pedras
Elas não exigem muito
E o amor é ótimo para fazê-las brotar…

nov 14, 2009 - Poemas    No Comments

A jornada

Por Suely Braga
Osório, 30.11.2008

Se encontrares
uma pedra no teu caminho
rola-a para longe.

Se não puderes sozinho,
pede a ajuda a alguém
Não deixa que nada,
interrompa tua caminhada.
Realiza teus planos.

Concretiza teus sonhos.

Persegue teus objetivos.

Olha em volta
as maravilhas da natureza.
Que beleza!

As estrelas no céu te guiam
O sol radiante
ilumina teus passos.

Com Fé e Esperança
prossegues tua jornada.

nov 12, 2009 - Crônicas    1 Comment

Estação das perdas

Estação das perdas

Por Mário feijó

 

A vida é uma constante sequência de perdas, onde para ganhar, sempre temos que perder.

Começamos a viver como seres independentes ao sairmos do útero materno. Já temos que respirar, senão morremos, logo no início… Perdemos ali, o calor e a proteção do corpo de nossa mãe.

Para aprender a viver temos que perder a ignorância, o medo e arriscar. A vida é uma sequência inesgotável de riscos.
Muito cedo ganhamos os primeiros dentes para depois perdê-los. Ganhamos outros definitivos, mas que de definitivos não têm nada, pois também caem na velhice. Isto sem falar nos cabelos que crescem para depois cair ou então para perder a cor.

Perde-se a inocência da infância para ganhar a malícia adolescente e quando se perde também esta, perde-se a vergonha completamente… Perde-se a virgindade para ganhar maturidade, experiências que nos ensinam e nos habilitam a viver num mundo adulto e quem perder a coragem também perde-se num mundo de vícios e criminalidade, pois para estes parece mais fácil viver no crime. Então, perde-se a noção do que é a vida, um eterno aprendizado, um eterno viver em amor, e quando se foge dele perde-se o encanto da vida, pois a vida é bela quando o amor é a grande meta.

Tudo que construímos na base do amor alicerça a pessoa que somos, pois bens materiais não levamos quando saímos desta vida, perde-se tudo, levamos conosco, em nossa alma, a pessoa que construímos e os bons sentimentos. O resto fica para uma prestação de contas “algum dia” não sabemos ao certo quando. Alguns até pagam nesta vida tudo o que fazem, pois lidamos com energia, e muitas vezes as más energias voltam-se contra nós mesmos, mas se vivemos em amor ele nos serve de escudo, e a vida é mais fácil.

Voltando às nossas perdas… Todas são perdas que constroem que ensinam e quem não tiver conhecimento disto vai ficar lamentando todas… no entanto as perdas só nos tornam fortes, belos, experientes… veja uma pedra preciosa bruta, ela só resplandece e tem brilho depois de lapidada, depois de sofrer muito… somos assim, precisamos ser lapidados para ter brilho também. Então não vale a pena ficar lamentando as perdas, pois elas nada mais são do que respostas ao que estaremos ganhando, notamos as perdas, pois era o que estávamos acostumados e nem percebemos o novo estágio. Neste novo estágio, onde a perda pode ter sido uma “morte” isto significa que houve uma ascensão, ou seja a elevação do ser a um novo estágio. Vamos refletir sobre isto. Todos nós passaremos por isto e devemos desde já nos acostumar com estas perdas.

E quando pensamos estar pensando perder a vida estamos ganhando a vida eterna. A idade nos torna sábios, embora precisemos sempre da humildade para continuar aprendendo a ganhar com todas as perdas.

Páginas:«1...7172737475767778