Browsing "Fragmentos Literários"
mar 2, 2022 - Fragmentos Literários, Poemas   

Poema carnavalesco

Desfile de Ilusão

Cantam e rimam, num mar de cor

Bate o pandeiro, falam de amor

Lá vai o povo, sem divisão

Abrindo alas do meu coração

Do alvoroço à fantasia

Gingam os versos da poesia

Nesta avenida, uma paixão

Pula no peito de um folião

Ela, porta-bandeira, eu mestre-sala

Do sonho acordo, o samba cala

Foi um desfile de ilusão, meu carnaval

Eu bem sabia, tudo são cinzas ao final.

Poema de Gabriel Fernandes e arte de Sonia Brusius.

Desfile de Ilusão é um poema do acadêmico Gabriel Fernandes, publicado em seu segundo livro de poemas, Flanar dos Passos. Este poema também fora musicado, em ritmo de marchinha, pelo músico Jorginho Dominguez.

mar 2, 2022 - Fragmentos Literários, Poemas   

Fim do Carnaval

FIM DO CARNAVAL

Fim de festa, fim de sonhos talvez.

Terminado todo o poder da sedução

e sem mais esforços, retira a máscara

e retorna para casa.

Fim do cenário, o frio chega

e subjuga o calor da paixão,

e os sonhos todos se vão.

Fim da música, apenas murmúrios.

nos cantos da sala quase vazia,

e a poeira que pairava no ar,

assenta-se calma;

fim de multidão.

Fim da conversa, da bebedeira,

não há mais anseios, o tempo passou

e passou tão depressa que ninguém nem notou.

Fim dos enigmas, das rimas,

das vozes ousadas, da alegria.

O tempo passou

e passou tão depressa

que ninguém nem notou.

Resta a lembrança, amiga,

prima-irmã da esperança,

que nos abraça e feito barcaça

nos leva pro mar dos anseios mais íntimos

e deixa apenas que o destino nos guie,

pois o tempo passou

e passou tão depressa

que ninguém nem notou.

Poema retirado do livro Ícones do Tempo, de Evanise Bossle.

jun 17, 2019 - Resenhas   

Palavras, encantos e encontros

Recentemente Cristina Maria de Oliveira, acadêmica da AELN, Professora dos cursos de Letras e Pedagogia da Unicnec, lançou “Palavras, encantos e encontros”, seu mais recente trabalho literário. O evento de lançamento integrou as programações da semana que comemora o Dia do Escritor Osoriense, em 8 de junho, na Biblioteca Pública Fernandes Bastos,  com bate-papo sobre a obra, sessão de autógrafos e música, ofertada pela musicista Giselle Frufrek.

O evento, foi, aliás, como devem ser todos os eventos de lançamento dos livros de poemas – e diga-se isso a bem da intensidade poética – rodeado de pessoas e sentimentos especiais, farto de versos rimados no papel ou na voz de quem recita ou canta. A poetisa estava lá não somente para autografar o livro pronto, mas para “desaprontá-lo”, entregando-o ao leitor para que, este sim, desse continuidade e sentido às palavras através de encantos e encontros com a poética de Cristina.

O livro é uma coletânea de poemas que fala dos sentimentos, ou que os acusa no cotidiano, a fim de que o leitor os possa perceber. São poemas que dizem, com delicadeza, dos sentimentos que nos envolvem e que são essenciais à vida. Amor, amizade, sonho, esperança, fé. Tudo isso revelado pela verve leve da autora que está a nos dizer, em versos, que a vida não está prosa e que, em tudo, vale ser vivida com intensidade.

O livro é, sobretudo, necessário. Necessário aos dias atuais onde as pessoas parecem estar (ou ser) cada vez mais impessoais, individuais, distantes pelo simples fato de acharem, erroneamente, que manifestar afeto é algo fora de moda, cafona ou pior, desnecessário. Nos poemas que lemos em “Palavras, encantos e encontros” podemos ser chamados de volta à razão evidenciando que tudo e todos que nos cercam nos trazem algo a fim de que possamos dar sentido a vida em suas parcelas, os momentos.

E são tantos os momentos que a autora compartilha conosco em seus versos: rememora a infância, os tempos e os desejos idos. Isso, de forma com que estes tempos distantes e estes desejos passados possam parecer próximos e presentes. Cristina, em seu livro, nos faz encontrar com as saudades que não doem, mas com aquelas, raras, que afagam a alma e dizem “valeu a pena”.

Como disse Rodrigo Prates, autor do prefácio da obra, “é um livro cheio de coragem e sem arrependimentos”. É, como eu disse anteriormente, necessário. Necessário aos dias atuais e, como poesia é atemporal, é também necessário aos dias que virão. Isto porque Cristina escreve como quem resiste na defesa dos bons sentimentos.

Gabriel Fernandes – Acadêmico da AELN, Poeta, Professor e sempre aluno da Cristina.

DSCN4716

DSCN4753

DSCN4702 DSCN4749 DSCN4627 DSCN4636

jun 11, 2019 - Textos históricos   

ETERNO RUY RUBEN RUSCHEL

Ruy Ruben Ruschel

Nesse 11 de junho completam-se 20 anos da morte de Ruy Ruben Ruschel. Advogado, professor, juiz, desembargador, pesquisador, cronista e historiador, Ruschel nasceu em Porto Alegre em 27 de janeiro de 1926, filho de Henrique Afonso Ruschel e Dalila Picoral Ruschel. Tinha, portanto, 73 anos ao morrer, vitimado por um câncer. Casado em primeiras núpcias com Heronita Raupp, de cujo matrimônio nasceram os filhos Régis Roberto, Rogério, Ricardo e Ruben. Viúvo, casou-se com Beatriz Clezar. Ambas de tradicionais famílias torrenses.

Torres foi uma de suas grandes paixões! Para ela dedicou quatro livros– Torres, a Rainha das Praias, em parceria com sua mãe -, Torres Origens, por ocasião dos 10 anos do jornal Gazeta e da realização do Raízes de Torres, Os Fortes de Torres e Por Mares Grossos e Areias Finas. Na área do Direito teve publicado Dinâmica das Classes Sociais, pelo Instituto Estadual do Livro, em 1966. Outras duas obras fazem menção a Ruschel ou são trabalhos seus: O Direito Público em Tempos de Crise, Estudos em Honra a Ruy Ruben Ruschel, organizado e editado por Ingo Wolfgang Sariet em janeiro de 1999, e Torres Tem História, organizado por Nilza Huyer Ely, editado pela EST em 2004, e que reúne mais de 800 colunas publicadas no Jornal de Torres e Gazeta entre 1985 e 1999. Além de uma centena de outros trabalhos de pesquisas históricas e arqueológicas, colunas em jornais e revistas da cidade de Torres e região. Bem como a participação em seminários, palestras, congressos sempre tendo Torres (ou o Litoral Norte) como ponto de referência.

A História era também outra de suas paixões! Parte de sua obra está no acervo do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, doada pela família; outros artigos e crônicas em publicações do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul, do qual era membro.

Em Torres Origens, resumo de um trabalho de pesquisas de 25 anos, com sapiência e visão, ele conclama outros apaixonados pela História a seguirem adiante. A não se contentarem com o que estava até então pesquisado e escrito. Tinha noção de que a História não tem fim ou limites! É inesgotável, acompanhando a vida humana sobre a terra.

Ruschel é, sem dúvida, a base para as fontes de consulta sobre a História de Torres e região. É através dele que sempre se inicia um trabalho! Pode não ser completo, atual – pois a História é dinâmica, sendo essa uma de suas características -, mas é obrigatório ir até a obra de Ruschel ao menos como um ponto de partida; para verificar o que está registrado; para confirmar-se se está no rumo certo; ainda para saber a opinião dele sobre determinado tema.

Consultar Ruschel é obrigatório. Imprescindível quando se trata da História de Torres!

Nesses 20 anos que se completam tristes com sua ausência física, resta ao menos o consolo de poder ouvi-lo através de sua obra. E saber que a Academia dos Escritores do Litoral Norte (AELN) ao constituir seus assentos na Galeria dos Imortais, destinou a Ruy Ruben Ruschel a Cadeira de nº 12, a qual, em vida, terei a honra e o orgulho de ocupá-la, buscando dignificá-la, em sua memória.

Eterno Ruy Ruben Ruschel nesses 20 anos! O Tempo, a História e os Homens rendem-lhe homenagens!

Nelson Adams Filho

Jornalista – Historiador – Acadêmico

set 29, 2017 - Poemas   

Prosa Poética

Prosa Poética

Lourdes Borges

Era 2007
Espalhados
Pela orla marítima
Viviam
Alguns escribas. Como pescadores
Eles também
Pescavam
Mas palavras
Soltas nas
Ondas do mar
E com elas
Expressavam
Sentimentos
Idéias e sonhos.
Um dia
O vento da sabedoria
Os aproximou
E então nasceu
A AELN.
Foi talento
E determinação
Que fez essa
Academia chegar
A esses dez anos
De existência.
Hoje é composta
Por membros dos vários municípios
Litorâneos.
Algumas realizações:
ANTOLOGIA ANUAL
CONCURSO DE POESIAS NAS ESCOLAS
PARTICIPAÇÃO EM FEIRAS DE LIVROS
CAMPANHAS – LIVROS ESPALHADOS DEIXADOS NAS PRAÇAS
ESCRITOR MAIS PERTO DE VOCÊ

Parabéns e Avante ACADEMIA DE ESCRITORES DO LITORAL NORTE –GAÚCHO

Páginas:1234567...53»