Browsing "Dicas de Leitura"
jan 4, 2012 - Dicas de Leitura    No Comments

Dois livros indicados por Leda Saraiva

Por Leda Saraiva Soares

Neste final de ano terminei de ler dois livros.

Livros estes, que comprei no “1,99”. Não há desculpas para não ler. Adorei a leitura destes livros e os recomendo. Primeiro que li: de Gilberto Scofield Jr. “Um Brasileiro na China” – o olhar de um jornalista estrangeiro sobre o país que mais cresce no mundo –  Rio de Janeiro: Ediouro : Globo,2007.
Este livro exibe textos e imagens de profissionais do jornal O Globo.


Gilberto Scofield Jr. (04/11/1965) é correspondente do jornal O Globo e colaborador do canal de notícias Globonews, autor de vários livros interessantes. Nesta obra, aborda comportamento, história, cultura popular, economia, drogas e os mais variados assuntos para revelar a complexidade de uma nação que concilia a herança comunista com a nova realidade capitalista. Um retrato impressionante do país-sede dos Jogos Olímpicos de 2008.

O livro inicia assim:
De cara, deixemos de lado o papo zen. A primeira coisa que o viajante observa quando chega à China é o superlativo absoluto. Tudo é grandioso. Estamos falando de um país de 9,6 milhões de quilômetros quadrados (o Brasil, outro gigante tem 8,5milhões), de uma população de 1,3 bilhão de pessoas, um quinto dos habitantes do planeta, e de uma economia que cresce a uma taxa anual de cerca de 10% há vários anos.
Disso resulta a primeira conclusão de quem chega ao país: gente demais, carros demais, bicicletas demais, obras demais, informação visual demais, comida demais…

O livro é muito bom e recomendo.

Segundo livro:
Outro livro que terminei de ler no dia 31/12/11, virada de ano, foi “O sol dos Scorta” de Laurent Gaudé – tradução de Maria Helena Rouanet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.


Comentários de leitores sobre o livro na contracapa:
“Uma história que marcará você como um ferro em brasa. Simplesmente inesquecível.”(Lire)

“Laurent Gaudé parece escrever com a luz do sol. Ele dá a seus personagens um poder brilhante, uma força magnífica. A história é ao mesmo tempo fabulosa e irrisória. Somos capturados, enfeitiçados e agarrados a cada página.”( Marie-France)

Meu comentário: O livro prende o leitor. Muitas vezes eu estava nos meus afazeres e não via a hora de me dedicar à leitura. Cada página uma surpresa. O autor escreve de uma maneira brilhante, inteligente, muito agradável. É um livro diferente.

Passa-se no ano de 1875. “Uma família deveria nascer daquele dia de sol ardente. Porque um estupro fundou sua linhagem, os Scorta vieram ao mundo sob o manto da desonra, em Montepuccio”, pequeno vilarejo do Sul da Itália…
Recomendo a leitura deste livro.

nov 16, 2010 - Dicas de Leitura    No Comments

3 livros por Rosalva Rocha

Por Rosalva Rocha

– SANTA SEDE – CRÔNICAS DE BOTEQUIM – Vários autores – Organização de Rubem Penz – Editora Literalis – 2010

Comentário: Futebol, trabalho, sexo e casamento são alguns dos temas presentes nas oitenta crônicas do livro. O lançamento da obra se deu no Boteco Matita Perê (João Alfredo, 626 – Porto Alegre) no último dia 26 de outubro. O Boteco é o mesmo que serviu de sede para o encontro dos participantes da Oficina Literária Santa Sede (responsável pela publicação). O livro foi realizado para ser uma espécie de obra de mesa de bar, como já diz o título.

– VOO INDEPENDENTE – 9 – AGEI – Associação Gaúcha dos Escritores Independentes – 2010

Comentário: Coletânea de crônicas e poesias onde é possível encontrar um pouco de tudo na caminhada da arte de escrever e reafirma o trabalho com afinco que a AGEI vem mantendo, atualmente sob a Presidência de Zaíra Cantarelli.

– MERIDIANO 51 – CRÔNICAS DO COTIDIANO DIGITAL – Autora: Lonise Gerstner – Editora AGE – 2010

Comentário: “Lonise é uma mulher inteligente, globalizada, bem resolvida. Já se realizou como profissional, como mãe, esposa, atleta, mas nada disso lhe tira a inquietude, o senso de dever em relação aos outros. Busca constantemente o aprendizado e a reflexão a partir da própria vivência e sente necessidade de compartilhar suas observações como uma forma de interferir naquilo que ela não aceita como destino. Movida por forte senso ético, não tem medo de colocar o dedo em feridas da sociedade, assim como não tem medo de viver. MERIDIANO 51 mostra uma autora que não se contentou em mudar apenas o seu mundo e que, para nossa felicidade, segue tentando modificar o de todos nós.” (prefácio de Flávio Azevedo – Professor de Literatura).