mar 3, 2011 - Crônicas    Sem comentario

A mulher na Literatura Brasileira

A mulher na Literatura Brasileira

Por Suely Braga

Educadora e Professora, Osório, 03/03/2011

No ano Internacional da Mulher, especialmente neste dia oito de março, vamos refletir sobre a importância da mulher na Literatura Brasileira. No século XIX, as mulheres viviam em sua maioria enclausuradas.Sem o direito de  aprender a ler e escrever e votar. Havia e sabemos, que há ainda uma discriminação muito grande das mulheres nesta sociedade machista.A  primeira legislação autorizando a abertura de escolas públicas se deu em 1827. A mulheres daquela época eram criadas para serem boa  mães ,boas donas de casa e obedecer seu chefe,o marido.Com o casamento elas saiam do jugo paterno, para caírem no jugo do seu dono, o esposo. Não precisavam serem  cultas ,nem intelectuais.

O machismo, como ainda hoje existe em muitas partes do mundo,naquela época imperava predominantemente. A sociedade era patriarcal. A brasileira Nísia Floresta Brasileira Augusta, nascida no Rio Grande do Norte e residiu em Recife, Porto Alegre e Rio de Janeiro, antes de se mudar para a Europa, foi uma das primeiras mulheres a romper o espaço privado dos homens na Literatura. Publicou textos em jornais da chamada “grande imprensa”.

Seu primeiro livro: “Direitos das mulheres e injustiça dos homens”, de 1932, é também no Brasil, o primeiro a tratar dos direitos das mulheres à instrução e ao trabalho. Anos depois, em Porto Alegre, Ana Eurídice Eufrosina Barandas, jovem escritora, publicou o livro: “Aphilósopha por amor” com contos, versos e uma peça teatral.

Já muito depois, Raquel de Queiroz colocou-se na vanguarda de sua época ao penetrar no mundo das letras. Sua estreia em livros, em1930, foi com o romance: “O Quinze”. Causou assombro. Seria realmente de    mulher? Indagavam.  O Quinze foi levado à televisão, numa série na Globo.

No regime militar ,algumas se posicionaram contra o governo ditatorial, revelando com coragem  suas posições políticas como Nélida Pinon, Lila Ripoll e outras. Nélida Pinon foi a primeira mulher a ser Presidente da Academia Brasileira de Letras . O rol das escritoras brasileiras  do século XX é vasto: Cecília Meireles, Lígia Fagundes Telles, Clarice Lispector, Marina Colassanti, Zélia Gatai, as nossas gaúchas Lia Luft, Hilda Hist, Marta Medeiros, Letícia Wierzchowski ,na poesia a grande lírica Lila Ripoll, t ambém destacada por sua militância política. Na poesia infantil Maria Dinorah.


As mulheres vêm conquistando ,como muita luta , em todos os setores da sociedade seu posto, até na Presidência do Brasil, algo inédito em nosso país.  Na Literatura e na Academia de Letras temos algumas mulheres.
Atualmente,vem surgindo uma plêiade de escritoras jovens,outras nem tão jovens,que se espalham pelas editoras com suas obras literárias.

A escritora e historiadora Hilda Flores vem buscando escritoras para seu “Dicionário das escritoras gaúchas”. S urgiram também  algumas Academias Femininas  de Letras. Agora ,com a internet é infindável o número de escritoras com livros digitais, sites, blogs e twitter. As mulheres do séculos XX e XXI deixaram de ser as Amélias para ocuparem posições e cargos e navegarem no mundo das Letras.

Tem alguma coisa a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!


8 − sete =